Respeito peloambiente. Talvez seja pelas nossas origens, este vale navarro, verde, montanhoso, pelo que corre o Bidassoa até desaguarno Cantábrico próximo. É a nossa paisagem diária, o nosso ambiente, o dos nossos vizinhos, foio dos nossos pais e queremos que continue a ser o dos nossos filhos.

Queremos continuar a sari à rua com a cabeça bem alta, fazer bem as coisas. Por isso implementamos políticas de segurança alimentar exigentes, de poupança energética eambientais que nos ajudam a diminuir os consumos de água e luz e a separar, reduzir e reutilizar os resíduos não orgânicos, convertendo ochorume de pato em fertilizantes naturais da mais alta qualidade, devolvendo à terra parte do que ela nos dá.

Comos nossos agricultores

No ano 2012, começamos já a trabalhar como Governo da Navarra em estudos que demonstrarãoa qualidade do chorume de pato como fertilizante para o campo de maneira que, conseguíssemos devolver aos agricultores próximos às nossas granjas, um tesouro para os seus campos.

Os resultados nãopuderam ser melhores. A composição dochorume de pato permitia estrumar os campos com uma maior quantidade de nitrogénio, algo que os campos navarros agradeceram desde então.

Respeito pela sociedade. Qualquer actividade humana deixa rasto, gera um impacto no ambiente, na sociedade, nas pessoas que a constituem.

O nosso compromisso como ambiente obriga-nos a que o rasto ambiental seja mínimo, eo nosso ADN ao que o social contribua para o desenvolvimento da comunidade, começando pelas aldeias e comarcas onde estão implementados os nossos centros produtivos. Para fazer isto possível, aproximamo-nos, colaboramos e trabalhamos lado aolado com actividades e propostas que visam fazer um mundo melhor: actividades desportivas, culturais, bancos alimentares…

Compromisso com a Investigação. Porque o futuro, o de todos, depende dela. Por um lado, o nosso I+D contribuipara o bem-estar dosnossos animais, para a procura de produtos melhores, mais saudáveis e seguros.

Mas queremos chegar mais além, caminhar junto com Fundações como WOP (WorkOn Project), onde se desenvolvem diferentes actividades dirigidas a financiar projectos de investigação à procura de terapias para doenças neurodegenerativas, divulgar a sua realidade e consciencializar a sociedade. E, desde a Martiko, sentimo-nos orgulhosos de que cada passo que damos a seu lado se transforme num minuto de investigação.

Desde há vários anos, a Martiko colabora com a Fundação “Niños contra el Cancer”,, Fundação criada pela Clínica Universidade de Navarra e cuja razão de ser não é outra que a de ajudar famílias com recursos insuficientes para aceder a tratamentos específicos, investigar paraganhar a batalha contra o cancronos mais pequenos.

E seguimos colaborando com eles por este grandetrabalho que realizam.

Compromisso como futuro. Tudo o que nos transmitiram, o que temos ido aprendendo, e o que nos resta por aprender, será o nosso legado.

Tal e como outros fizeram connosco, somos obrigados a enriquecê-lo e acrescentá-lo para futuras gerações. Efazemo-lo através de colaborações comescolas e universidades, coma nossa participação como patronos fundadores no BasqueCulinay Centere como impulsores de novos talentos gastronómicos através da Bolsa Martiko.

Basque Culinary Center

O BasqueCulinary Center, com sede em S.Sebastiãoé um ambicioso projecto de formação, investigação e inovação, destinado ao desenvolvimento do sector gastronómico, com clara vocação internacional.

Uma oferta formativa altamente qualificada, um Centro de Investigação e Inovação no campo da alimentação eda gastronomia que conta como apoio dos maiores cozinheiros internacionais, começando pelos seus impulsores: Juan Mari Arzak, Martín Berasategui, Pedro Subijana, KarlosArguiñano, Andoni Luís Aduriz, Hilario Arbelaitz e Eneko Atxa, instituições e empresas de topo e comprometidas entre as que não podia faltar a Martiko. E um Conselho Assessor presidido por Ferrán Adriá e com alguns dos cozinheiros com mais influência do mundo como Gastón Acurio, Michel Bras, YukkioHattori, Alex Atala, HestonBlumenthal, Joan Roca, René Redzepi, Dan Barber, Enrique Olvera…

E os alunos provenientes de todo o mundo, cozinheiros do futuro, têm ocasião de se enfrentarem todos os anos o DESAFIO MARTIKO, a elaboração de uma receita comos nossos produtos e a possibilidade de alcançar a BOLSA MARTIKO.

OUTROS COMPROMISSOS MARTIKO

BEM-ESTAR ANIMAL

Pelo cuidado Dos nossosanimais

QUALIDADE

Convertendo emobjectivo o subjectivo.

PESCA SUSTENTÁVEL

Dasovas para o prato

TRAÇABILIDADE

Ser os melhores eos mais seguros